50 capítulos
Medium 9788521629115

Apêndice - C’è / Ci sono

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea GEN PDF

APÊNDICE

C’è / Ci sono

As expressões c�è e ci sono fazem parte da forma verbal esserci (essere + ci) e correspondem em português ao verbo haver quando usado no sentido de existir.

Só se encontram na terceira pessoa, singular e plural.

Exemplos:

Nel giardino c�è una statua.

No jardim há (tem) uma estátua.

Nel giardino ci sono molti fiori.

No jardim há (tem) muitas flores.

Al bar c�era una sola persona.

No bar havia (tinha) uma só pessoa.

Al bar c�erano dieci persone.

No bar havia (tinha) dez pessoas.

La prossima settimana ci sarà una festa.

Na próxima semana haverá (terá) uma festa.

La prossima settimana ci saranno tante feste.

Na próxima semana haverá (terá) tantas festas.

186

C’È / CI SONO

INDICATIVO

Presente

Imperfetto

Passato remoto

Futuro

singular

c�è

c�era

ci fu

ci sarà

plural

ci sono

c�erano

Ver todos os capítulos
Medium 9788521628637

PARTE II - 9. Some e any: quando usar?

LIMA, Denilso de GEN PDF

Capítulo 9

Some e Any : quando usar?

E

nquanto eu escrevia este livro, perguntei-me várias vezes se deveria incluir as palavras some e any aqui ou se as deixaria para o livro de vocabulário. Afinal, nunca vi essas duas palavrinhas como gramática; apenas como duas palavras com significados e usos distintos.

No entanto, após trocar ideias com algumas pessoas, eu me senti na obrigação de incluí-las. Isso porque a maioria das pessoas as encara como gramática e espera encontrá-las em um livro de gramática. Portanto, vamos falar delas.

E começo falando que, em minha opinião, um dos erros clássicos no ensino de língua inglesa está relacionado justamente ao ensino de some e any. Para a maioria das pessoas, o uso dessas palavras tem a ver com sentenças afirmativas, setenças negativas e sentenças interrogativas. Ou seja, use some para sentenças afirmativas e any para sentenças negativas e interrogativas.

Durante muitos anos, acreditei piamente nessa lógica. Ensinei essa lógica. Eu defendia essa “explicação” a todo custo. Era tão simples! Tão claro! Até que um dia me deparei com as seguintes sentenças:

Ver todos os capítulos
Medium 9788521628637

PARTE I - 1. Por que a gramática é tão chata?

LIMA, Denilso de GEN PDF

Capítulo 1

Por que a gramática

é tão chata?

E

m meu blog, meus livros, wokshops, cursos e palestras, sempre deixo bem claro às pessoas que não sou muito fã de gramática. Na verdade, tenho até aversão a essa palavra! Por conta disso, evito explicar as coisas por meio de regras gramaticais e tecnicismos linguísticos, que mais complicam do que ajudam quem quer aprender a falar inglês. Essa minha atitude faz com que estudantes e professores de inglês me questionem sobre a razão pela qual considero a gramática chata e desnecessária.

Na verdade, as pessoas confundem o que eu digo. Ou melhor, esquecem (ou não sabem) que, ao lidarmos com o aprendizado (ensino) de uma língua (seja qual for), temos dois tipos de gramática a serem levados em conta: gramática normativa (ou gramática estrutural) e gramática de uso

(ou gramática natural, gramática funcional).

A gramática que eu considero chata e desnecessária é a gramática normativa, que é aquela das regras e dos termos técnicos usados para descrever a língua. Em outras palavras, a gramática do certo e do errado, aquela do não escreva ou fale assim, pois está errado. É a gramática que, em minha opinião e na de muitos outros estudiosos, mais atrapalha do que ajuda quem quer aprender a se comunicar fluentemente em inglês.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521629115

Capítulo 3 - Vozes do verbo

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea GEN PDF

CAPÍTULO

3

Vozes do verbo

A voz indica o tipo de relação do verbo com o sujeito. As vozes verbais podem ser quatro: ativa, passiva, reflexiva e pronominal.

3.1 ATIVA

Na voz ativa é o sujeito do verbo que exerce a ação da frase: isto é, o sujeito é agente, tem uma função ativa em relação ao enunciado.

Il centravanti fa un gol.

(O centroavante marca um gol.)

3.2 PASSIVA

Na voz passiva o sujeito do verbo sofre a ação realizada por algo ou alguém, definido em italiano complemento d�agente ou di causa efficiente: isto é, o verdadeiro agente da frase não é o sujeito, que só recebe passivamente o efeito da ação.

Il gol è fatto dal centravanti.

(O gol é marcado pelo centroavante.)

Obs.: em italiano, o verbo venire pode substituir o verbo essere nos tempos simples: Il gol viene fatto dal centravanti.

12

VOZES DO VERBO

3.3 REFLEXIVA

Na voz reflexiva o sujeito faz e sofre, ao mesmo tempo, a ação expressa pelo verbo; isto é, a ação se reflete no próprio sujeito.

Ver todos os capítulos
Medium 9788521628637

PARTE II - 7. Quando usar the corretamente em inglês? (Definite Article)

LIMA, Denilso de GEN PDF

Capítulo 7

Quando usar the corretamente em inglês?

(Definite article)

N

a lista das palavras mais usadas em inglês, the é a que ocupa o topo.

Isso significa que the é, sem dúvida, a palavra mais usada na língua inglesa. Portanto, é importante saber usá-la corretamente.

The equivale a quatro palavras na língua portuguesa, são elas: o, a, os, as. Em termos gramaticais, trata-se do famoso artigo definido (definite article). Veja os exemplos: exemplos

the car (o carro) the house (a casa) the boys (os garotos, os meninos) the girls (as garotas, as meninas)

Em termos de significado, acredito não haver muitas complicações.

A coisa, porém, muda de figura na hora de usar essa palavrinha. Afinal, muitas vezes usamos o, a, os e as em situações nas quais, em inglês, não usaremos o equivalente the. Um exemplo clássico disso é com relação a nomes próprios.

Em português, dizemos: exemplos

O João foi pro shopping.

Ele falou com a Maria.

Ver todos os capítulos

Visualizar todos os capítulos